20 de março de 2017

Crítica: 2019 - O Ano da Extinção (2009)


Com o péssimo titulo brasileiro '2019: O Ano da Extinção', ou simplesmente 'Daybreakers' na versão americana, é um filme dirigido por Michael Spierig e Peter Spierig. No seu elenco estão grandes nomes do cinema como: Ethan Hawke (Uma Noite de Crime, A Entidade), Willem Dafoe (Ruas de Fogo, Homem Aranha [Sam Raimi], A Culpa é das Estrelas) e Sam Neill (A Profecia 3 e Jurassic Park). O filme foi lançado em 2009 direto para DVD no Brasil, ele trás um dos seres mitológicos mais conhecidos do mundo, os vampiros. O que diferencia esse longa das milhares de filmografias sobre eles, é a sua história.   

A narrativa segue a humanidade no ano de 2019, um vírus se espalha rapidamente, transformando a maior parte da população mundial em vampiros. Com apenas alguns humanos restantes para dar sangue aos vampiros famintos, a extinção é um risco muito real para a nova espécie dominante e para os humanos, em 2019 não existe quase nenhum exemplar da raça humana. E como consequência dessa ausência de sangue, os vampiros vão se modificando e se tornando monstros denominados de 'Sub-espécies', criaturas semelhantes a morcegos violentos e incontroláveis. . 

Os vampiros são descritos como imortais, possuindo aparência física semelhante ao dos humanos, isso é um ponto positivo já que eles possuem um certo charme característico dessas criaturas. Outros pontos legais são  que os chupadores de sangue também morrem com a luz do sol e o fato deles virarem monstros grotescos depois de muito tempo sem beber sangue, mostra um certo cuidado do roteiro em preservar a mitologia dos vampiros que mesmo charmosos e elegantes, são monstros sanguinários. A única coisa que difere é o fato dos vampiros serem originários, não de uma maldição religiosa ou um pacto com o Diabo, mas sim de um vírus que contagiou todo o mundo.   

Para evitar que os vampiros entrem em extinção por causa da pouca oferta de humanos em relação a gigantesca demanda de vampiros, um grupo de pesquisadores tenta arranjar um substituto para o sangue antes que a crise se agrave. Ao mesmo tempo, pequenas facções de humanos sobreviventes tentam lutar contra os vampiros que os caçam ao mesmo tempo em que precisam encontrar uma solução para evitar que eles sejam a próxima refeição dos vampiros. 

É nesse cenário que entram em ação o vampiro Edward Dalton (Hawke), um hematologista de 35 anos que foi virado por seu irmão mais novo, Frankie. Tem os humanos Alison (Isabel Lucas) e Audrey (Claudia Karvan) e o ex-vampiro Elvis (Dalfoe). A história gira no fato de que Elvis conseguiu, de uma forma acidental, se tornar humano novamente... E esse acontecimento pode ser a resposta para os problemas dos vampiros e dos humanos. E qualquer coisa que eles fizerem, terá que ser rápido porque os vampiros estão indo ao extremo para colocar as suas presas em sangue humano. E para completar, Charles Bromley (Sam Neill), é um vampiro em cargo de uma poderosa corporação para a qual Edward Dalton trabalha, e só pensa numa coisa, capturar humanos para saciar a sua sede. Bromley havia sido diagnosticado com câncer em 2008 tendo, dessa forma, apenas mais alguns anos de vida, então quando ele fora transformado, viu aquilo como uma benção. 

Existem também pequenas subtramas, Edward é um vampiro mocinho estereotipado... Se recusa a beber sangue humano e por causa disso é duramente criticado por seu irmão. Alison é humana, filha de Charles, ela luta contra os vampiros mesmo que seu pai seja um deles, sem contar que ainda temos uma crescente relação entre Ed e Audrey. Elvis, por ter estado nos dois lados da moeda, sabe como os vampiros se comportam e serve de mentor para o grupo humano.


Esse longa não é um filme de terror, na verdade, ele foca mais para a ficção e suspense com grandes toques de drama, logo, se é sustos e medo que você quer, é melhor procurar outra película. Esse aqui se torna interessante por causa da história que prende o telespectador do começo ao fim, e por causa disso, nós ignoramos alguns efeitos especiais meia boca que estão presentes no decorrer da trama. Esses efeitos estão no filme por algum motivo e sem exagero, e mesmo que não tenham uma qualidade alta, de forma alguma se torna uma poluição visual ou um problema que o impeça de vê-lo até o final.


Um ponto negativo do filme, é o final, literalmente falando. O ultimo segundo antes dos créditos subirem, é ridículo. Seria bem mais interessante se a tela fosse fechando gradativamente ou ficando escura aos pouco dando foco ao sol. É um detalhe bem pequeno mesmo e que poderia ter terminado melhor. Outra coisa que poderia ser melhorada é a relação entre Charles e sua filha, embora isso tenha sido abordado no filme, não houve profundidade, e isso ajudaria o telespectador a se envolver mais emocionalmente com algumas situações que o longa impõe.


No geral, Daybreakers é um ótimo filme de vampiros que foge do comum, mas preserva a essência tradicionalista que conhecemos dessas criaturas, tem um grande elenco e uma boa história que inclusive dá potencial para uma continuação embora não seja necessária. O elenco está impecável, destaque para Neill e Dafoe que fazem na medida certa os seus personagens,  Hawke, mesmo prejudicado com a previsibilidade de seu personagem, nos convence como uma espécie de "vampiro vegetariano" que quer a mesma coisa que os humanos, liberdade, mas no seu caso, liberdade de sua sede por sangue. Por esse motivo, a nota para o filme é: 8,0.

Portanto, se você ainda não o viu, assista! Ele foi uma das coisas boas de 2009 que passou despercebido no Brasil.


Uma curiosidade sobre o filme é que o ator Ethan Hawke não tinha interesse algum em participar do projeto. Então ele pegou o Script e ia dar só uma lida rápida para negar a proposta. No entanto, após ler tudo, ele gostou tanto que voltou atrás e decidiu dar vida ao Edward.

Ficha Técnica

Direção: Michael Spierig, Peter Spierig.
Produção: Chris Brown, Bryan Furst, Sean Furst.
Coprodução: Todd Fellman.
Produção executiva: Peter Block.
Roteiro: Michael Spierig, Peter Spierig.
Elenco: Ethan Hawke, Willem Dafoe, Sam Neill.
Duração: 98 Minutos. 

Sinopse: Um misterioso Vírus se espalhou pela Terra, transformando quase toda a população em vampiros. Agora, as grandes cidades ganham vida quando o sol se pôe e o sangue humano é o principal alimento da população. Enquanto os poucos humanos que ainda restaram são caçados e aprisionados numa espécie de fonte de alimento, toda a esperança está nas mãos do cientista Edward Dalton (Ethan Hawke), um vampiro que não quer se entregar a escuridão e luta para manter o lado humano que ainda existe dentro dele. Ed terá que enfrentar sua própria espécie em uma batalha mortal que irá decidir o futuro da raça humana.

Trailer
Por: Michael Kaleel.   

Description: Um ótimo filme de vampiros que foge do comum, mas preserva a essência tradicionalista. Rating: 4 out of 5

Postar um comentário