22 de novembro de 2016

Crítica: It - Uma Obra Prima do Medo (1990)


Uma das obras mais marcantes e lembradas do Stephen King, It - A Coisa se originou de um livro do autor publicado em 1986, basicamente no auge do sucesso do cara. A sua primeira adaptação veio 4 anos depois, em 1990, no formato de minissérie produzida pela ABC. Dois episódios de 90 minutos foram exibidos, o primeiro com enfoque nas crianças (mas com flashbacks dos personagens na vida adulta) e o segundo com o desfecho já adultos.

Essa produção, estrelada por Tim Curry (The Rocky Horror Picture Show) no emblemático papel do palhaço Pennywise, marcou a infância de muitos e acho que é bastante certo falar que levou à algumas pessoas a aquisição da coulrofobia (medo de palhaços). Hoje em dia, It é lançado como um telefilme, com os 2 episódios juntos como um filme de 3h de duração. Aproveitando que próximo ano uma nova adaptação (que será lançada nos cinemas, dessa vez) do livro vai sair, não poderia deixar esse filme em branco aqui no blog.


A história de It começa com a morte de uma garotinha na cidadezinha de Derry, no Maine. Mike (Tim Reid), um bibliotecário encontra perto do local uma fotografia de George, um garoto que foi assassinado há 30 anos e logo percebe que o responsável foi o mesmo: A Coisa. Ele então apressadamente entra em contato com alguns amigos de infância: Bill (Richard Thomas), o irmão de George, Ben (John Ritter), Beverly (Annette O'Toole), Eddie (Dennis Christopher), Richie (Harry Anderson) e Stan (Richard Masur).

Enquanto cada um recebe o telefonema de Mike dizendo que "A Coisa" voltou, vemos flashbacks da infância deles no fim dos anos 50, quando eles enfrentaram pela primeira vez uma criatura assustadora que matou várias crianças (incluindo o irmão de Bill) e quase tomou a vida dos 7. O primeiro episódio foca justamente nisso: quando os sete se conheceram e se tornaram rapidamente amigos, começaram a ser assombrados por uma entidade que se apresentava como um palhaço chamado Pennywise (Tim Curry), mas que podia tomar a forma de qualquer coisa. A ideia é que cada um tinha um medo que poderia ser facilmente reproduzido pela Coisa para perturbá-los. Nessa adaptação, alguns deles aparecem como um lobisomem, uma múmia ou até mesmo o irmão de Bill. Mas no livro há mais que não chegaram a aparecer como o fantasma de dois garotos que morreram afogados ou uma pessoa com lepra (esse foi confirmado que aparecerá no filme de 2017). Enfim, por aí vai...

O segundo episódio é focado em 1990 (ou seja, nos "dias de hoje"), com os sete voltando para Derry e pensando num jeito de matar A Coisa antes que sejam as próximas vítimas dela.


Considero It uma das melhoras obras do King. Não me refiro ao filme, mas à história em si. O fato de haver uma criatura trucidando crianças da cidade, se passando por um palhaço bizarro, é bastante assustador. A falta de conhecimento da sua identidade ou origem também (esse é um dos meus detalhes favoritos sobre A Coisa, mantém o mistério por trás de seu nome). Ainda almejo ler o livro gigantesco, mas isso fica pra outro post.

Apesar de bastante fiel, essa adaptação de It não é excelente, apesar de eu achar o diretor bem competente. Tommy Lee Wallace, que dirigiu Halloween III - A Noite das Bruxas (1982) e A Hora do Espanto - Parte 2 (1988), conseguiu manter o primeiro episódio bem dirigido e na média, embora o roteiro do segundo episódio seja fraco.

Alguns detalhes da produção, efeitos especiais, entre outras coisas fez o filme parecer um pouco mal-feito, ainda que o grande pote de ouro não esteja nas cenas que precise de muito efeito mas sim em um ator completo e bastante dedicado que deu vida ao Pennywise. A ausência dele nos últimos 15 minutos de filme e clímax da história é sentida, já que é nessa parte que vemos a forma original da Coisa... uma aranha. No livro é o mesmo, mas toda a montagem da cena é mal feita. Horas a aranha é animada graficamente, horas é um boneco mal articulado... Bem desapontante.

They all float down here...

A segunda parte da história perde um pouco da emoção, não sei dizer bem o motivo. Creio que é o seguinte: Gosto do elenco adulto mas eles não tem tanta química quanto o elenco infantil da primeira parte, então é um clima diferente.

Embora tenha seus defeitos, assistir It é mais efetivo atualmente por conta da nostalgia, principalmente se você viu ele em algum momento de sua infância. Suas falhas incomodam um pouco, mas os acertos agradam bastante. Claro que pra fazer uma minissérie de 3h, muita coisa teve que ser descartada do livro e talvez alguns desses detalhes estejam presentes no filme de 2017.

CURIOSIDADES:

- Quando anunciada, a minissérie teria 6h de duração e seria dirigida por George A. Romero, que até começou a trabalhar no roteiro e ajudou bastante na pré-produção. No entanto, conflitos com o remake A Noite dos Mortos-Vivos (1990) o fez ser substituido por Tommy Lee Wallace. Romero também dirigiria Cemitério Maldito (1989), outro filme baseado em um livro de Stephen King, mas as negociações não vingaram.

- Os atores evitavam o Tim Curry no set de gravações por que a maquiagem de Pennywise o deixava muito bizarro.

- O rockeiro Alice Cooper foi considerado pra interpretar Pennywise.

- Nas cenas dos túneis, Tommy Lee Wallace decidiu filmar sob a "visão" da Coisa pois achou que o que imaginamos é mais assustador do que o que vemos. Essa técnica ele aprendeu com John Carpenter, com quem trabalhou como editor em vários filmes como Halloween (1978) e A Bruma Assassina (1980).

- A frase "Beep beep, Richie" é falada várias vezes no filme mas não é explicada. No livro, eles usam essa frase pra mandar Richie calar a boca.

- John Ritter ficou com uma das cartas de baralho que tinha o rosto de Pennywise.

- Tommy Lee Wallace revelou que a cena em que o rosto de Pennywise aparece como uma projeção nos canos não era pra ter sido assim. Segundo ele, o plano inicial seria que galhos formassem o rosto de Pennywise mas como não tinham o orçamento pra isso, tiveram que fazer do jeito que foi.

- O diretor também falou que o final não saiu como foi planejado. A cena desenhada nos storyboards seria bem diferente da que foi gravada. De novo, devido ao orçamento, tiveram que mudar.

- Um dos livros escritos por Bill se chama "The Glowing", em tradução "O Brilho". Essa é uma referência à outra obra de Stephen King, "O Iluminado" (The Shining).

- John Ritter, grande fã de Stephen King e conhecedor do livro antes do filme, disse que ficou decepcionado por eles terem lutado contra uma aranha falsa no final, ao invés de Pennywise. Segundo ele, o palhaço é o verdadeiro vilão do filme.

- Muitos detalhes foram censurados no roteiro da adaptação. No livro, Bev dorme com todos os outros 6, há algumas mortes de personagens que não aparecem no filme, há subplots envolvendo a gangue de Henry Bowers (incluindo assassinato, homossexualismo, etc)...

- Infelizmente, dois atores do filme morreram em 2003. John Ritter, o Ben adulto, faleceu devido à uma dissecção aórtica aguda e Jonathan Brandis, o Bill pequeno, se suicidou.

- Na exibição das duas partes, It quebrou recordes de audiência e abriu caminhos para várias adaptações televisivas baseadas nas obras de Stephen King.

- O filme de 2017 terá Bill Skarsgard no papel de Pennywise.

por Neto Ribeiro

Título Original: It
Ano: 1990
Duração: 186 minutos
Direção: Tommy Lee Wallace
Roteiro: Lawrence D. Cohen, Tommy Lee Wallace
Elenco: Harry Anderson, Dennis Christopher, Richard Masur, Annette O'Toole, Tim Reid, John Ritter, Richard Thomas, Jonathan Brandis, Marlon Taylor, Seth Green, Adam Faraizl, Emily Perkins, Brandon Crane, Ben Heller, Tim Curry


Description: Rating: 3.5 out of 5

Um comentário :

  1. O livro é magnifico a historia e roteiro muito bom, o filme foi bom o que pecou foi o final John Ritter estava certo aquele final lutando contra uma aranha gigante ficou bizarro o verdadeiro vilão seria o próprio Peenywise o que salvou foi a atuação de Tim Curry o cara é fera uma pena não ter ganho um oscar em sua carreira também acho que o filme só não foi melhor por que eles tinham poucos gastos os efeitos daquela época eram piores. Então eu aposto que esse novo será melhor porém a atuação de Tim será imbatível infelizmente se ele não tivesse nos seus 70 anos até daria pra ele atuar novamente rsrs

    ResponderExcluir