15 de setembro de 2016

Crítica: Bruxa de Blair (2016)


A Bruxa de Blair... Eu gosto muito do primeiro, sou aficionado pela história do trio (Heather, Michael e Joshua), que vai para a floresta fazer um documentário sobre uma lenda de uma bruxa que vive na região. Dirigido por Daniel Myrick e Eduardo Sánchez. Com um orçamento de US$ 60 mil, o longa faturou nada menos que US$ 248 milhões nos cinemas mundiais, um sucesso bem bem bem acima do esperado. O filme praticamente inaugurou o gênero found footage, que é aquele em que as cenas mostradas na tela representam um "material encontrado", filmado pelos próprios personagens da produção. Ou seja, é basicamente um falso documentário. 

O segundo filme, eu até gostei... Mas não devia se chamar 'A Bruxa de Blair 2 O livro das Sombras' foi lançado em 2000, dirigido por Joe Berlinger e roteirizado por Dick Beebe com a ajuda do diretor. O filme em si não foi muito bem aceito pelo público e nem pela critica especializada, ainda mais pela seu conteúdo que trouxe um conceito metalinguístico de filme dentro do filme aplicado a realidade... Um coisa muito louca, definitivamente, fazer uma metalinguagem do 'The Blair Witch Project' sendo um filme dentro de 'Blair Witch 2', foi um erro. Ele chegou a ganhar o prêmio Framboeza de Ouro por pior remake ou sequência daquele ano.

Enfim, depois de tanto tempo, inesperadamente, no dia 23 de julho de 2016, surge 'Bruxa de Blair 3' ou como se diz nos EUA 'Blair Witch' (sem o 'The' e o 'Project' presentes no título original). Ninguém sabia que o filme estava sendo feito, foi como fizeram em 'Rua Cloverfield 10', de repente, foi lançado um cartaz e um trailer do filme, já com data de lançamento de sua estreia. É claro que isso foi uma loucura para os fãs uma vez que o trailer mostrava-se ser mais fiel ao original do que a segunda parte foi.

Dito isso, cheguei do cinema ainda pouco e vim direto aqui escrever esta critica para vocês. Eu avisarei as partes que contém spoilers, portanto, fique atento no aviso.

Esse capítulo foi escrito por Adam Wingard, conhecido por dirigir divertidos filmes como: "Você é o próximo, VHS, VHS2...".  E foi roteirizado por Simon Barrett que também já havia trabalhado com Wingard nos mesmo filmes citados acima. Então já deu para notar que a produção do filme estava em boas mãos.

Bem, o filme começa mostrando o final do original, pelo que entendi, embora a película seja de 1999, os eventos narrados ocorrem no ano de 1994, acredito que isso tenha acontecido para reforçar a ideia da propaganda grandiosa do longa metragem. Certo, logo depois, nos dias atuais, nós vemos James, o irmão caçula de Heather (a moça do primeiro filme), que achou um vídeo no youtube de uma pessoa numa casa abandonada no meio da floresta, pessoa essa que ele acha ser a sua irmã desaparecida. Então com uma esperança de tentar encontrar a Heather, ele se une a Lisa, Peter e Ashley para se encontrarem com a pessoa que encontrou essa fita e publicou na internet para que, assim, eles possam chegar ao local onde a fita fora encontrada com a esperança de encontrarem alguma pista que possa levá-los até a moça desaparecida.


A primeira observação que tenho a dizer é no motivo que o grupo tem em ir para a floresta... James simplesmente vê uma pessoa num quadro que dura 0,5 segundos e logo cogita ser a sua irmã... Ele não pensa na veracidade do vídeo em nenhum momento, além disso... Fazem mais ou menos uns vinte anos que a sua irmã sumiu e ele ainda acha que ela está viva na floresta? Complicado acreditar nisso. Mas, ok.  


Quem achou a fita no meio da floresta foi Lane e a sua namorada Talia que aceitam levar o quarteto ao local onde a fita foi encontrada com a condição dos dois irem junto com o grupo para a expedição. Vale ressaltar que buscas para encontrar o trio do filme original, haviam sido feitas, e nada havia sido encontrado naquela época. Uma coisa interessante é que enquanto no primeiro filme existiam opiniões de diferentes pessoas sobre a lenda da bruxa, nesse filme, os contos envolvendo esse ser são ditos por Lane e Talia que ficam falando sobre os eventos bizarros que aconteceram naquela floresta nos últimos séculos, isso tira um pouco a questão do "falso documentário" e aproxima o filme de uma "narrativa" bem mais que o original havia feito no seu segundo e terceiro ato. 

Primeiramente, uma coisa que não entendi foi a questão do tempo. O filme tenta brincar com a ideia do tempo onde para uns personagens dias se passam na floresta enquanto que para outros personagens, durante o mesmo tempo na floresta, só algumas horas se passaram. Mas, tipo, como disse acima, uns vinte anos separam os personagens do primeiro filme com esses personagens, pela lógica, Heather estaria bem velha nos dias atuais, mas nas filmagens encontradas pelo Lane e a Talia, o vulto que o James acha ser a sua irmã, é jovem demais para ser a Heather levando em conta o tempo que passou. E por falar nessa questão do tempo, a qualidade da imagem, e técnicas estão bem melhores do que os do filme original.

Bem, o grupo, agora composto por seis pessoas, vão para o meio da floresta. Ashley acaba cortando o pé enquanto atravessa um rio. Aí as coisas estranhas começam a acontecer, durante a noite, o grupo escuta barulhos na floresta... Achei sem noção, tipo, eles estão na floresta, o que mais tem é barulho, então o grupo escuta um galho quebrando e já ficam apreensivos achando que é algo sobrenatural. A melhor parte disso é quando um ou outro indivíduo vai floresta adentro em busca da origem do barulho, e quando alguém chama a pessoa perguntando se ela está bem, a pessoa não responde, resolve ir de fininho e aparecer na frente da câmera para nos dar o bom e velho jump scare.0


Na manhã seguinte, o grupo acorda cercado por aquelas cruzes de madeira ao redor do acampamento, sem pensar duas vezes, o grupo decidi cancelar a busca e resolvem ir embora dali o mais rápido possível... Massss, essa turminha do barulho acaba se perdendo na floresta. Acontece alguns desentendimentos entre James, Peter, Ashley e Lisa com Talia e Lane, onde é descoberto que os dois haviam feitos as cruzes e colocado no acampamento para 'dar vida' a lenda da bruxa de Blair. Devido a essa briga, o grupo se separa, Talia e Lane vão para um lado enquanto os outros vão pelo outro.


Daqui por diante, as perseguições vão acontecendo freneticamente e de forma exagerada. Enquanto no primeiro filme, as coisas iam acontecendo de forma sutil, partindo primeiro para um terror psicológico para depois acontecer os desaparecimentos sem sabermos se era algo sobrenatural ou não... Nesse, o filme apela para o físico e atividades paranormais no meio da floresta, nós vemos o que está acontecendo com cada personagem e não existe mistério algum. As atividades vão de árvores caindo a vultos, e tudo vai acontecendo muito rápido, do 'está todo mundo bem', o filme pula para o 'salve-se quem puder'. Alem disso, o longa usa e abusa de jumps cares, tipo: A pessoa coloca a câmera para fora da barraca para ver o que está causando os barulhos, e de repente, a cara de um personagem aparece do nada causando aquele susto que provoca pulos da poltrona. Espere ver isso muitas vezes durante a sessão, se vai funcionar, depende de você.

Eu andei lendo por aí que algumas pessoas estão achando que esse filme é um remake disfarçado de sequência. Eu discordo desse ponto de vista porque o 'A Bruxa de Blair 2 O Livro das Sombras', tentou ser original e muitas pessoas o criticaram, então para não repetir o erro, tiveram que reciclar algumas formulas do original para esse, assim o tornando parecido com o primeiro em alguns aspectos. É trazer o novo sem perder a essência do velho. Poderia ser melhor, mas  vamos combinar que é difícil achar uma sequência com uma identidade própria nos dias atuais. As sequências gostam de ficar em zonas de conforto, muitas vezes reciclando coisas do original, e isso a Bruxa de Blair de 2016 faz bem.


Outro ponto negativo do filme são os personagens que insistem em fazer todas as burrices possíveis dentro de um filme de terror... Ir pegar lenha sozinho durante a noite, correr feito um louco e sem ver para onde os seus amigos foram, subir em árvores com o pé ferido, entrar em casas abandonadas, etc... Nesse sentido, nós precisamos ter paciência com esses personagens. O roteiro é extremamente clichê, o grupo vai em busca dos desaparecidos há mais de 20 anos, fala sério, isso já fala por si só. No filme temos a presença de tecnologia como: walkie talkies, GPS, drone, e nada disso adianta. A película deixa clara que os tempos mudaram, mas nada disso é o suficiente para ajuda-los contra a força maligna que está na floresta de Black Hills.

A cena final da película é legal, porém, previsível, em meio as tremedeiras e desfoque, nós percebemos a reviravolta cuspida na sua cara, também interessante, mas confusa. E tudo isso acontece durante uma infinita noite (literalmente falando) durante uma tempestade.

AVISO: SPOILERS ABAIXO

Algumas coisas, eu achei muito interessante, como a utilidades das cruzes... O jeito em que a Talia morre foi muito legal, o tamanho das cruzes realmente impressionam. A Ashley foi a protagonista de uma das cenas mais nojentas do filme, depois que ela se corta no primeiro dia, a ferida inflama e no dia seguinte, a cena em que ela tira um parasita de sua perna, embora legal, não vi muito sentido na trama, mas ok... Estamos falando de uma bruxa, e por ser tal criatura, podemos relevar isso. Entretanto, esse caso se contradiz com a própria história em si já que nos é falado que as bruxarias só começam para as pessoas que passam uma noite na floresta.

A ideia de quem ver a bruxa diretamente, morre, é legal, e isso fez sentido para o ato dos personagens de virarem as costas para as paredes para evitar ver e permanecerem vivos, isso causou uma certa tensão e aflito pois como os personagens tentavam ver a bruxa através de aparelhos eletrônicos, nós ficamos naquela expectativa dos infernos de ver algo aterrorizante na câmera. 

Um dos mistérios mais divertidos da franquia era em imaginar como era a bruxa, se ela existia realmente e qual lenda em meio de tantos contos era a verdadeira... No entanto, quando ela aparece, mesmo assustando um pouco, nós podemos ficar um decepcionados, não pela bruxa em si, mas pelo fato do mistério ter acabado. E que bruxa feia, gente... Acho que ela aparece umas duas vezes, e me assustei nas duas. Isso pode ser contraditório já que algumas pessoas não gostaram do primeiro filme porque não aparecia nada nele.  

ATUALIZANDO

Recentemente o roteirista Simon Barrett revelou que a criatura que aparece nos minutos finais do filme, não é a bruxa... Ou seja, a bruxa de Blair ainda não apareceu em nenhum filme, Barrett alegou:

“Não quero estragar surpresas, mas aquilo é apenas uma a ponta do iceberg. O que você vê na tela não é a bruxa, é outra pessoa!”.

Isso significa que o mistério continua, uma teoria afirma que a criatura é, na verdade, Heather Donahue. A protagonista do primeiro filme teria sofrido a mesma tortura pela bruxa, se tornando uma criatura esguia. Isso, mesmo que não seja muita coisa para mudar a opinião da grande maioria do público quem vêm criticando o filme por não acrescentar nada na história já conhecida, é um ponto que melhore a visão desse filme por fazer com que o mistério continue de certa forma. 

FIM DOS SPOILERS

Então, na minha conclusão eu digo que 'Bruxa de Blair (2016)', é um filme que faz jus ao original, mas ele peca por exagerar em algumas coisas e mostrar\revelar demais situações que ele devia ter evitado para que o mistério pudesse permanecer e a imaginação do público pudesse fluir, mas não, do jeito que nos foi mostrado, acabou minimizando o mistério que tinha em torno da lenda da bruxa e tornando algo real, deixando o sugestivo e psicológico de lado, mas ao mesmo tempo, nos dá uma visão maior do perigo e do terror que existe na floresta como um todo. É um longa cheio de problemas, mas nem tudo nele é defeito, ele é bem melhor que o segundo, mas inferior ao primeiro.

Curiosamente, na minha sessão, um rapaz teve um ataque de epilepsia, provavelmente ocasionado pela tremedeira e luzes do filme, as pessoas ficaram muito assustadas, tiveram que pausar a projeção e os bombeiros tiveram que tirar o rapaz carregado da sala. Particularmente, eu nunca havia presenciado algo semelhante e fiquei impressionado, isso contribuiu para que eu ficasse tenso o resto da projeção, logo, foi fácil me assustar durante os minutos finais do longa.  

No fim das contas a impressão que dá é que a filmografia foi feita para aqueles que não gostaram do original porque tudo que o filme de 1999 faz, esse tenta fazer diferente, mostrando demais com mais qualidade e '''''melhor''''', o que pode quebrar o ritmo armador e mais realista que o 'A Bruxa de Blair' tem. Isso é ruim? Sim, uma vez que quem não gostou do primeiro dificilmente vai ao cinema ver essa continuação e quem gostou do filme de 1999 possa detestar esse.  Apesar disso, eu gostei do filme, mesmo com todos esses problemas de coerência e previsibilidade, mas não me julguem, tem muita gente que gosta de filmes piores que esse vide Sharknado.  

Acho que esse longa vai ser um 'divisor de águas': Ame ou odeie. Mas, definitivamente... O que andaram dizendo: "Esse filme é o mais assustador desde 'O Exorcista'", é pura propaganda enganosa, você pode até se assustar assistindo no cinema, mas, esse é aquele tipo de filme que só presta ver uma vez porque na segunda você não vai mais se assustar com as situações. Na segunda vez que você assisti-lo, você vai reparar nos seus erros e na história clichê já que os sustos você não vai mais levar porque já sabe onde acontecem e como acontecem, então esse filme acaba se tornando mais um no meio de muitos, um pouco divertido, porém esquecível. Por esses motivos eu dou uma nota: 6,0.

Acredito que muitas pessoas irão detestar esse filme, principalmente pelo fato de ser em found footage, isso não é um problema do produto em si, mas sim da técnica que está muito desgastada por filmes como 'Atividade Paranormal' que usou essa forma de filmagem até a exaustão. Entretanto, é um filme que vale uma conferida, ele é melhor que filmes como 'Willow Creek', 'Acontecimentos Estranhos', 'VHS: Viral', 'Fenômenos Paranormais 2' e até mesmo, melhor que 'REC 3 Gênesis', mesmo não sendo o que se esperava.

Titulo original: Blair Witch.

Direção: Adam Wingard.

Roteiro: Simon Barret.

Elenco: James Allen McCune, Callie Hernandez, Corbin Reid, Brandon Scott, Wes Robinson, Valorie Curry.


Sinopse: Um grupo de estudantes universitários resolve se aventurar na floresta de Black Hills para desvendar os mistérios que cercam o desaparecimento da irmã de James, que muitos acreditam estar ligado à lenda da Bruxa de Blair. Eles criam esperanças de encontrar a garota, especialmente quando uma dupla de moradores se oferecem para guia-los na floresta. Mas com o cair da noite, o grupo é surpreendido por uma presença ameaçadora e percebem Jess Calder que a lenda é real e muito mais sinistra do que imaginaram.

Trailer






Por: Michael Kaleel.


Description: Rating: 3.5 out of 5

9 comentários :

  1. Contem SPOILERS: Já discordo de vc. Pq ninguém merece nunca aparecer a cara da tal bruxa. Tem que aparecer, senão não teria graça horas. E mesmo assim apareceu muito rápido, deveria aparecer e mostrar mais. Só não gostei do final. Não deu pra ver quem ficou vivo ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SPOILER: Faz parte discordar, a sua opinião é bem valida. Afinal, como disse no texto, algumas pessoas odiavam o primeiro porque não aparece nada, ninguém vai poder reclamar que esse filme não mostra nada. Com relação a aparição da bruxa, é algo mais pessoal do que técnico...

      Excluir
  2. Anônimo9/26/2016

    Adorei a critica, eu amei o filme porque ele mostrou tudo o que eu queria ver. Fiquei tensa do começo ao fim.

    ResponderExcluir
  3. Eu assisti o filme e esperava mt eu acho , porque achei ele bem sem graca , e não levei nenhum susto nem nada, exagerou demais e não causou medo algum, na minha sessão todos meio q , se impressionaram pelo filme ter sido meio q tão superficial , tão fraquinho, a galera até vaiou no final pq kkk... sinceramente achei bem lixo , mas me apaixonei pela Talia��Q linda

    ResponderExcluir
  4. Pra mim, na verdade, não existe bruxa, mas sim uma lenda surgida de algo que o povo da época não conseguia explicar, ou seja, alienígenas!
    Sim. Aquela figura e as luzes que aparecem no final do filme, assim como o sumiço de pessoas - abdução - remetem a visita de alienígenas e óvnis.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo3/06/2017

    estou sem entender o filme todo e tentando entender até agr

    ResponderExcluir
  6. Anônimo3/19/2017

    Achei muito interessante a sua crítica, mas o filme é horrível, apela demais, um terror exagerado que pra mim não há expectativa durante o filme... Monótono demais. Uma pena

    ResponderExcluir
  7. Anônimo3/19/2017

    eu so fiquei confusa com uma coisa, se é a lisa q aparece no video e o lane morre, como ele acha a gravação e depois posta no you tube pra o james achar e aí começar tudo de novo? eles estao presos no tempo?

    ResponderExcluir
  8. A criatura no final do filme é o Slender.
    A bruxa leva as crianças para o Slenderman.
    Ela trabalha pra ele.
    Misterio resolvido u.u

    ResponderExcluir